• João Neto

[Crítica] Romance lovecraftiano é tema de Into the Dark: Tentacles

Como nossas atividades no site ainda são recentes, ainda não tivemos a oportunidade de comentar sobre Into the Dark, série antológica da Hulu em parceria com a Blumhouse. O grande ás do projeto é que, ao invés de outras séries com a mesma proposta, os episódios não tem uma duração mais curta para se encaixar no modelo televisivo. Pelo contrário, os episódios são longa-metragens! A intenção é lançar um filme por mês, tematicamente relacionado com algum feriado simbólico daquele mês, portanto, ao longo de 2 temporadas, tivemos 24 filmes de terror sobre as mais diversas festividades, dirigidos por cineastas já estabelecidos e nomes promissores da indústria.


Após um longo hiatus devido à pandemia, o seriado retorna com Tentacles, um filmededicado ao Dia dos Namorados (lembrem-se que lá é comemorado em fevereiro). Dirigido por Clara Aranovich, com roteiro baseado em uma história do nosso queridinho Nick Antosca (Channel Zero, The Act e Hannibal), a trama segue o romance de Tara (Dana Drori) e Sam (Casey Jon Deidrick). Em fuga de seu passado misterioso, ela conhece o fotógrafo Sam em uma open house imobiliária e os dois instantaneamente se veem atraídos um pelo outro. Não demora muito para que Tara, em busca de um canto para ficar, alugue a antiga casa dos pais dele. Aos poucos, eles engatam num relacionamento que se torna cada vez mais intenso e vulnerável.


Horror e romance é uma mistura que sempre traz notas interessantes. Pelo Amor e Pela Morte (1994), Honeymoon (2014), Midsommar (2019) e principalmente o tematicamente-relacionado Primavera (2014) são alguns exemplos que utilizam não apenas do romance em si mas a questão do relacionamento como elemento principal da história. A escolha por trás de Tentacles é até interessante visto que é um projeto produzido em meio a pandemia, então escolher um roteiro que foca mais na dinâmica dos protagonistas é algo acertado.



Casey Jon Deidrick (Eye Candy) e Dana Drori (Freaky) são bons atores. Ele na verdade carrega ainda mais força dramática dentro do filme do que ela e pra mim creio que foi o ponto mais positivo do episódio. No entanto, apenas eles não são o suficiente para salvar Tentacles de um problema que é bastante recorrente na série: a sensação de algo malcozido.


Into the Dark produziu coisas interessantes. Culture Shock (S01E08), Pooka! (S01E03), New Year New You (S01E04) e My Valentine (S02E04) são exemplos disso. Mas um problema que se estende por todo esse projeto, e que é um sintoma do seu próprio formato, é que são filmes, longas-metragens, produzidos em um tempo de televisão. Com isso, não há espaço para algumas revisões de roteiro, ou uma edição mais coesa e consequentemente, uma pós-produção mais paciente.


Tentacles sofre muito desse problema porque suas limitações impedem que essa história concretize todo seu potencial. É um romance com toques lovecraftianos, por Deus! Algumas piras visuais seriam muito bem vindas, um mergulho mais intenso no body-horror, mas no geral é um filme muito limpo. Admiro que a diretora tente contornar essas limitações investindo no suspense mas o próprio roteiro não sustenta tão bem as surpresas que guarda, então muitas decisões soam sem propósito.



Por vezes, a direção de Aranovich e o roteiro faz um bom trabalho em explorar o emocional dos personagens. Ambos tem suas feridas e aos poucos vão ficando mais confortáveis - e vulneráveis - um com o outro, o que resulta em cenas bacanas. Existe um argumento por trás dessa história sobre relacionamentos codependentes, o que é bastante válido, mas uma última revisão no roteiro poderia dar mais força não apenas pra química dos dois, mas para o próprio argumento.


Ainda que seja uma experiência inconstante, acompanhar Into the Dark é observar histórias interessantes e conhecer novas visões promissoras, além de que a sacadinha de filmes temáticos é sempre charmosa. Em seu retorno, Tentacles infelizmente representa o lado irregular desse projeto, mas para ser bem sincero, ainda torço para que seja renovada para mais uma ano de feriados perversos.


INTO THE DARK: TENTACLES

USA | 2021 | 83 minutos

Direção: Clara Aranovich

Roteiro: Alexandra Pechman, Nick Antosca

Elenco: Dana Drori, Casey Jon Deidrick, Kasey Elise, Evan Williams


0 comentário