• Junno Sena

[XVII Fantaspoa] Dois Minutos Além do Infinito, às vezes é só o que precisa

Atualizado: Abr 12



Existem viagens no tempo para todos os estilos. Desde cabines telefônicas azuis, até o clássico “viva, morra e repita”, os de loopings temporais àqueles de diálogos longos com explicações que só fazem sentido para o roteirista. Mas, o que Dois Minutos Além do Infinito (Beyond Infinite Two Minutes) traz é um entretenimento fácil, rápido e em alguns sentidos, tão repetitivo quanto original em sua proposta.


E a abertura do longa já deixa claro isso. Quando Kato, depois de seu expediente, encontra a sua própria imagem na televisão, dizendo “Eu sou o seu futuro eu. Dois minutos no futuro!”, tanto protagonista e espectador entram em um looping de diálogos, cheio de repetecos de frases, explicações e reações dos personagens. Mas, o que é repetitivo, esconde uma trama temporal simples, mas bem elaborada.


O que Dois Minutos Além do Infinito tem para oferecer vai além das polaroids de Time Lapse e dos furos de roteiro das viagens temporais de Os Vingadores: Ultimato. Isso porque, mesmo com seu baixo orçamento, a criatividade de utilizar de um plano sequência e as diferentes gravações dos “eus” do passado e do futuro, fazem os setenta minutos do filme passarem rápido.


Mas, diferente de tantos outros roteiros, as consequências desses dois minutos são pequenas em questão de narrativa. O interessante é ver os mecanismos que os personagens desenvolvem para descobrirem informações pequenas e, às vezes, inúteis. A direção de Junta Yamaguchi é o que consegue fazer com que os diálogos mais desnecessários se tornem dignos de nota.


E de certa forma, as atuações. Os atores não possuem nada excepcional em suas performances, mas exatamente por causa disso, Dois Minutos Além do Infinito passa a sensação de normalidade. Como se a qualquer momento, um “eu” do espectador do futuro fosse dar um “oi” no meio do filme. Com esse detalhe, as impossibilidades narrativas se tornam quase plausíveis.


Mesmo assim, não se engane. Não é um filme que não vai deixar, pelo menos, um nó ou dois no seu cérebro. Por sempre estarem tentando encontrar formas de ver além dos dois minutos, os personagens criam formas de fazer com que os monitores conversem entre si e, às vezes, é mais fácil seguir rindo com a história do que tentar entender o que de fato está acontecendo.


Em um momento que estamos sempre nos perguntando sobre o futuro, o roteiro de Makoto Ueda quer tratar sobre presentes. Dois Minutos Além do Infinito é uma narrativa simples, que está longe de ser um terror, mas consegue criar expectativa só com a curiosidade do que pode acontecer de tão grandioso em dois minutos. O que lhe falta em ousadia, ele tem em criatividade e por isso, é uma boa pedida para dar uma olhada na 17ª edição do Fantaspoa.


Dois Minutos Além do Infinito e muitos outros filmes fazem parte do XVII Fantaspoa, totalmente online e gratuito, disponível na plataforma Wurlak.


BEYOND INFINITE TWO MINUTES

JAPÃO | 2021 | 70 minutos

Direção: Junta Yamaguchi

Roteiro: Makoto Ueda

Elenco: Kazunori Tosa, Aki Asakura, Kazunari Tosa, Riko Fujitani, Gota Ishida


0 comentário